terça-feira, 24 de maio de 2011

                                   Deuteronômio 16: 1 a 17


     Temos aqui a repetição da descrição das principais festas que deveriam ser observadas pelos hebreus. Estas festas eram, sobretudo um memorial. Um momento de relembrar o que Deus havia feito por seu povo. Era uma maneira de guardar viva na memória os poderosos feitos de Deus em benefício deles. também era uma oportunidade de sacrificar, ofertar ao Senhor, num momento de profunda gratidão!
     Hoje também somos convocados por Deus a recordar seus feitos por nós e a ofertar as primícias do que, dele mesmo, temos recebidos.Não mais comemoramos a páscoa matando um animal, ou comendo pães asmos (sem fermento), mas celebramos a santa ceia que é um memorial da nossa redenção: "Isto é o meu corpo, que é dado por vós; fazei isto em memória de mim... Porque, todas as vezes que comerdes este pão e beberdes o cálice, anunciais a morte do Senhor, até que ele venha." I Coríntios 11:24 e 26 
     Deus nos convoca, tanto no novo quanto no antigo testamento, a nos lembrarmos das coisas que ele fez por nós. No verso 3 do texto de hoje, ele instrui claramente o povo: "...para que te lembres, todos os dias da tua vida, do dia em que saíste da terra do Egito." A lembrança da escravidão e dos tormentos passados no Egito deveriam estar sempre presentes na memória do povo. Não pelo sofrimento que eles passaram apenas, mas principalmente para que se lembrassem todos os dias que a mão forte do Senhor os livrara daquele cativeiro. Isto deveria servir também de esperança em outros momentos difíceis pelos quais eles deveriam passar. Olhar para traz e ver o livramento de Deus em nossa vida, sempre alimenta nossa fé e nos faz descansar naquele que já fez tanto por nós, e que certamente continuará fazendo!
     

4 comentários:

  1. Algo que nós jamais podemos cobrar de Deus (se é que alguém pode cobrar algo Dele) é misericórdia, pois é como está escrito nas sagradas escrituras: "...a misericórdia do Senhor se renova a cada manhã...".São muitas as bênçãos.E algo que nunca devemos de fazer é agradecer à Deus por essas bênçãos,sempre, pois na situação em que estamos (isso sem,nem comparar a Deus) não somos dignos de nem um pedaço de pão se quer.Às vezes,por bênçãos como alimento todos os dias,o ar que respiramos,etc,enfim,bênçãos ordinárias, deixamos de dar graças à Deus.Mas bênçãos como essas têm de ser tão festejadas,e agradecidas quanto outras consideradas mais raras.Devemos dar muito valor àquela bíblia que temos no armário (que sempre que podemos,podemos pegá-la), ou até àquela televisão lá na sala.Poderíamos não receber bênçãos tão valiosas e significativas como essas,mas só pelo fato de Deus,por seu amor e misericórdia, dar-nos a bênção da salvação,já é muito mais que um motivo de nos prostrar-nos diante dele e louvá-lo eternamente.

    ResponderExcluir
  2. Gabriel Benjamin25 de maio de 2011 14:43

    Devemos estar constantemente nos lembrando do que DEUS fez por nós, pelo que faz por nós e pelo que vai fazer. As bençãos, os livramentos, as disciplinas, as provações. Tudo isso vem de DEUS, um DEUS misericordioso e amoroso para com seu povo.

    ResponderExcluir
  3. Deus além de sempre abençoar o povo, ele institui festas para que o povo se regozijasse nos Seus feitos. Deus queria que por meio destas comemorações o povo percebesse o quanto Deus havia feito por eles, e que não se esquecessem disso nunca. Todas as bençãos de Deus eram lembradas, desde o socorro na escravidão no Egito, até a prosperidade nas colheitas. O povo poderia assim claramente perceber o quanto Deus estava próximo deles, e o quanto Ele os conduzia. A nossa recordação é a santa ceia, onde por meio dela nos recordamos dos grandes feitos de Jesus por nós, e almejarmos estar com Ele nos céus quanto tudo acabar!!

    ResponderExcluir
  4. Deus quer que nos lembremos sempre de seus grandes feitos por nós. E nos recordarmos do que Ele fez por nós é sempre bom, pois assim não nos esqueceremos de dar sempre graças a Deus pelas bênçãos que ele nos concede.
    Devemos sempre ser gratos a Deus, pois Ele deu a vida de seu próprio filho para que fôssemos santificados e para que tivéssemos morada garantida junto ao Pai.

    ResponderExcluir